Contra o coronavírus: como limpar o interior do carro

Materia Blog2

Entre todos, podemos retardar a progressão do coronavírus, se seguirmos as medidas de higiene apropriadas. Isto inclui o seu Honda. Neste artigo, vamos dar algumas dicas de como limpar o interior do carro, algo muito importante para prevenir a propagação do vírus.

Qual a importância de limpar o interior do carro?

Sabemos que uma das medidas de prevenção para com o coronavírus é lavar-se as mãos, mas que também inclui alguns cuidados na nossa vida diária, como manter os lugares onde passamos mais tempo limpos.

Atualmente, os funcionários dos transportes públicos desinfetam, regularmente, todas as superfícies em que os passageiros tocam, mas o que podemos fazer para manter a higienização do automóvel e livre do vírus?

Evitar uma possível infeção por COVID-19 é fundamental, não só para proteger a nossa saúde e a dos outros, mas também para nos ajudar a sair da atual situação de emergência social.

No caso da limpeza do automóvel Honda, o facto de ser um espaço fechado e apesar de ser utilizado apenas por uma pessoa ou por um pequeno grupo de risco reduzido, é importante garantir que não o contaminamos com elementos externos.

Honda-HRV-Interior-4

No momento em que tocamos na boca com as mãos, por exemplo, estamos a passar desde já possíveis bactérias para as superfícies em que estamos em contato. Um gesto tão comum quanto levar as mãos no rosto pode fazer com que estes vestígios, acumulados nas superfícies, entrem no nosso organismo.

Sabe-se que o coronavírus pode sobreviver alguns dias, influenciado pela temperatura, humidade e tipos de material, por isso, deixamos 5 passos de como limpar o interior do seu carro e manter o seu Honda desinfetado.

 

Como limpar o interior do carro: 5 passos importantes

Em tempos de pandemia, higienizar o carro é essencial. Veja as dicas da Honda para manter o automóvel limpo e prevenir o contágio do vírus.

1) Desinfetar as mãos ao entrar no seu Honda

É essencial desinfetar as mãos sempre que entrar no seu Honda. Para adquirir mais rapidamente este hábito, deixe uma garrafa de gel antibacteriano à vista.

Desta forma, deverá aplicar o gel sempre que se sentar ao volante e passá-la aos restantes passageiros, se for o caso.

2) Desinfetar as superfícies do automóvel

O volante, o painel ou a consola central são elementos em que os condutores e passageiros tocam com uma maior frequência. Após desinfetar as mãos, habitue-se a limpar as superfícies mais importantes do seu Honda:

  • o volante;
  • a manete de velocidades;
  • o rádio;
  • os botões da consola;
  • os apoios dos braços;
  • entre outros.

Lembre-se de usar sempre produtos de limpeza à base de álcool, apropriados para cada componente, de modo a evitar danos. Desta forma, garante a limpeza do interior do carro, sem que os microrganismos passem das suas mãos para as superfícies, nem das superfícies para suas mãos.

4) Higienizar o carro na sua totalidade

Se ainda não o fez, é hora de limpar o interior do carro, em especial o seu Honda, na totalidade. Apesar de muitos fãs da Honda gostarem de cuidar diretamente do seu automóvel, aconselhamos,  a levá-lo a uma Concessionária Honda e permitir que os nossos profissionais, com ferramentas específicas para desinfetar seu carro, o façam.

5) Ventilar o habitáculo do seu Honda com frequência

Antes e depois de conduzir, abra por algum tempo as portas do seu Honda e deixe o habitáculo arejar por alguns minutos, principalmente se tiver compartilhado o automóvel com outras pessoas.

Cuidados redobrados com o seu automóvel traduzem-se numa maior segurança para si. E a Honda preza, acima de tudo, a segurança dos seus condutores. Siga estas dicas de como limpar o interior do carro e irá prevenir a propagação do vírus.

 

Fonte: https://honda-automoveis.pt/blog/contra-o-coronavirus-5-passos-para-manter-o-seu-honda-desinfetado/

 

CORONAVÍRUS: Saiba o que pode e o que não pode usar para higienizar o seu carro.

face

Especialmente no caso de táxis e carros de aplicativos de transporte individual, a higienização regular da parte interna do veículo é uma prática essencial para prevenir a disseminação do coronavírus.

Porém, o interior dos automóveis combina uma série de materiais diferentes, incluindo itens eletrônicos, o que leva à dúvida: qual ou quais são os produtos mais adequados para fazer a higienização sem causar danos?

UOL Carros conversou com Kazuo Matsui, diretor da AutoShine, empresa especializada na fabricação de produtos de limpeza e cuidados automotivos para esclarecer a questão.

De acordo com o especialista, a dica da área da saúde vale também para a higienização da cabine dos veículos: na maioria dos casos, você pode passar álcool sem medo nas partes com as quais as mãos têm mais contato.

“Pode usar normalmente o álcool com concentração de 70%, o recomendado pelos médicos, no volante, em superfícies plásticas, nas borrachas, no câmbio e nos tecidos, incluindo couro e material sintético simulando couro”, recomenda Matsui.

imagem meio

Segundo ele, a dica é sempre usar pano de microfibra, para não causar arranhões nem soltar fios, e evitar encharcar de álcool, para o líquido secar mais rapidamente. “No tecido dos bancos e das portas, retire o excesso com um pano”.

Também há no mercado paninhos umedecidos com álcool 70º, que são práticos e podem ser utilizados sem problemas. Só não utilize álcool em gel, daquele indicado para desinfetar as mãos. “O álcool em gel tem uma formulação, para ter essa característica mais pegajosa, que deixa resíduos onde é aplicado, propiciando até o acúmulo de sujeira na superfície, posteriormente”, explica.

“Para a limpeza da tela tátil da central multimídia, prefira aplicar álcool isopropílico, que é muito mais puro e praticamente não traz água em sua composição”, ensina. O álcool isopropílico é um produto específico para higienizar produtos eletrônicos e também pode ser usado em botões também no painel de instrumentos, incluindo aqueles com tela digital.

“Não deixe o álcool no interior do veículo, ainda mais se o mesmo estiver exposto ao calor do sol”, conclui.

 

Fonte: https://www.uol.com.br/carros/noticias/redacao/2020/03/23/coronavirus-saiba-o-que-pode-e-o-que-nao-pode-usar-para-desinfetar-o-carro.htm

PLACA PADRÃO MERCOSUL TERÁ USO OBRIGATÓRIO PARA TODO O PAÍS NO PRÓXIMO DIA 31 DE JANEIRO DE 2020

Capa blog_Honda Enjin_Placa Mercosul 2020

 

A placa Mercosul tem prazo definido pelo Contran desde Julho de 2019, após seis adiamentos.

Uso da placa Mercosul passa a ser obrigatório em todo o País para carros zero-km e em casos de troca de município ou Estado.

placa-nova-mercosul-825x509

    No dia 31 de Janeiro o uso da placa Mercosul passa a ser obrigatório em todo o País. O prazo foi definido pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), no dia 28 de Julho do ano passado. O sistema, que deveria ter entrado na operação em Janeiro de 2016, teve seis adiamentos. O novo prazo foi determinado para que os órgãos estaduais de trânsito pudessem credenciar as fabricantes das novas placas. Também foram alteradas algumas regras para a colocação das placas Mercosul.

Dos 26 Estados brasileiros, apenas 10 já haviam aderido à nova Placa de Identificação Veicular (PIV). Em São Paulo, por exemplo, ainda não havia aderido. O Detran-SP informa que passará a utilizar o novo sistema a partir do dia 1º de Fevereiro. O órgão de trânsito informa que “a estampagem, comercialização e instalação das placas serão serviços prestados pelas empresas credenciadas pelo Detran.SP e cabe a elas determinar os valores das placas.” Informa ainda que “isso está em conformidade com a Resolução, que não abre a possibilidade de licitação das empresas ou qualquer tipo de iniciativa que iniba a livre concorrência, como o tabelamento de preços, pelo Detran.SP.”

Exigências da placa Mercosul

A placa Mercosul passa a ser obrigatória para veículos novos, no primeiro emplacamento. E também para os que forem transferidos de município ou Estado. Ou ainda em caso de furto ou dano muito extenso à placa, que dificulte a leitura. Segundo o Detran-SP, pessoas que desejam trocar voluntariamente também podem aderir o novo modelo.

A implantação da placa Mercosul no País já teve seis adiamentos.  O novo sistema deveria ter entrado em vigor em janeiro de 2016. Mas foi adiado para 2017 e depois, para dezembro de 2018, após isso cada Estado passou a ter um calendário próprio. Isso até uma liminar suspender a implantação do sistema por tempo indeterminado.

Uma nova mudança alterou a entrada em vigor da placa Mercosul para 30 de Junho de 2019. Antes, no dia 28, o Contran fez novo adiamento, para 31 de Janeiro de 2020.

Cor da letra identifica categoria

A nova placa tem fundo branco, quatro letras e três números, dispostos de maneira aleatória. A cor da combinação alfanumérica indica a categoria do veículo.

placa-mercosul

A cor preta é para carros particulares. A vermelha é para táxis, veículos comerciais e de aprendizagem (autoescola). Azul é para carros oficiais e verde para os de teste. O tom dourado identifica carros diplomáticos e o prateado, modelos de coleção.

Em uma tarja azul fica o nome e a bandeira do país, além do emblema do Mercosul. Um futuro sistema integrado de consulta compilará dados sobre o veículo e seu proprietário. Essa banco de dados trará também eventuais registros de roubo e furto.

A nova placa tem o mesmo tamanho da cinza. Apenas carros de passeio precisam ter placas na dianteira e na traseira. Para motocicletas, quadriciclos, reboques, tratores e guindastes apenas a placa traseira é obrigatória.

Fonte: https://jornaldocarro.estadao.com.br/servicos/placa-mercosul-sera-obrigatoria-partir-de-31-de-janeiro/

PLACA PADRÃO MERCOSUL COMEÇA A VALER NO PARANÁ NO PRÓXIMO DIA 17/12/2018

PLACA PADRÃO MERCOSUL COMEÇA A VALER NO PARANÁ NO PRÓXIMO DIA 17. VEJA COMO VAI FICAR!

 

Sobre o expediente natalino, não haverá funcionamento do DETRAN/PR nos dia 24, 27, 28 e 31/12. No dia 26 de dezembro, o expediente será normal.

A segunda questão trata da alteração de sistema do departamento, no que tange as novas placas no Padrão MERCOSUL. Entre os dias 11 e 17 de dezembro, o DETRAN/PR não estará operando os emplacamentos, com o intuito de alterar o mecanismo para o novo sistema que fará a alteração dos registros.

As novas placas de veículos padrão MERCOSUL começam a valer no Paraná a partir de 17 de dezembro. A portaria 074/2018 do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) atende a partir desta data a Resolução 729 do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Os processos abertos até a próxima segunda-feira (10), seguem com a placa no padrão atual, com o modelo cinza.

O objetivo da implantação das novas placas é controlar o trânsito nos países integrantes do MERCOSUL. A nova placa terá o mesmo desenho em todos os países do MERCOSUL – Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai – com quatro letras e três números em fundo branco. O modelo também terá itens de segurança que permitirão a rastreabilidade das placas e dos veículos por QR code praticamente impedindo a clonagem. Numa segunda fase haverá ainda, como reforço de segurança, a implantação de um chip.

A obrigatoriedade do padrão de placas no modelo MERCOSUL será para as seguintes situações: primeiro emplacamento; aquisição de veículo; aquisição de veículo com troca de município; alteração de dados com complementação de placa; mudança de município; registro de outro estado; troca de categorias; e outros processos que necessitem a substituição de placas.

 

DETRAN PR –

NÃO HAVERÁ EXPEDIENTE NOS DIAS 24, 27, 28 E 31 DE DEZEMBRO DE 2018 

EXPEDIENTE NORMAL – 26 DE DEZEMRO de 2018

Fonte: Sincodiv-PR

Novo padrão de placas começa a ser usado hoje no Brasil

arte-post-placas2

A partir de hoje 11 de setembro de 2018, o Estado do Rio de Janeiro começa a ter acesso ao novo modelo, de acordo com as resoluções 729 e 733 do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). A troca não será obrigatória para todos os veículos. Quem quiser trocar a placa voluntariamente ou realizar operações que envolverem novas placas já receberão o modelo Mercosul. As operações são: emplacamento de carros zero quilômetro, transferências de propriedade, de jurisdição e de município, além de alteração de categoria e troca de placas danificadas.

A nova placa vai dar maior segurança para os proprietários de veículos, evitando a possibilidade de clonagem. O novo modelo terá código único e conterá todos os dados de confecção da placa, desde a identificação do fornecedor até o número, data e ano e modelo de fabricação do carro, além de permitir a rastreabilidade dela. Dessa forma, a autoridade policial identifica instantaneamente onde a placa foi confeccionada e a qual veículo pertence. Por consequência, se as características não coincidirem, será possível saber se o veículo é clonado ou não. O valor de fabricação da placa é o mesmo do modelo antigo (R$ 219,35).

Já a rastreabilidade do veículo será possível por meio de um aplicativo que o Denatran vai disponibilizar gratuitamente para as polícias até o fim de setembro. O novo aplicativo vai conferir ainda mais segurança aos usuários e vai estar acessível nas plataformas IOS e Android.

Outra necessidade para a implantação do novo modelo da placa é a proximidade do fim da combinação alfanumérica. Se a placa mantivesse a atual combinação (três letras e quatro números), nos próximos dois anos, não existiram mais novas sequências para contemplar toda a frota do país.

Novo Modelo

PLACA

Além do QR Code, outro item de segurança da nova placa é a marca d´água, que evita a falsificação e praticamente impossibilita a clonagem. Os novos itens inseridos na placa auxiliarão o trabalho das polícias nas fiscalizações e fraudes.

O modelo da placa Mercosul é bem diferente, onde cada item possui uma característica e representação. A primeira mudança que pode se notar é a visual. Ao contrário da placa que existe hoje, na cor cinza, as novas placas terão fundo branco com uma faixa azul na parte superior. O novo modelo possui quatro letras e três números.

Do lado esquerdo, na parte superior, está impresso o logotipo do Mercosul e logo abaixo, o QR Code. A placa ainda possui o distintivo BR e, no lado direito, a bandeira do país, seguida pela bandeira do estado e pelo brasão da cidade.

A categoria dos veículos será indicada pela cor da combinação alfanumérica: particular (preta), comercial/aprendizagem (vermelha), oficial (azul), especial (verde), diplomático (amarela) e colecionador (prateada). O tamanho continua o mesmo com 40 cm de largura e 13 de altura.

A tarjeta da antiga placa passa a ser representada pelo brasão do município e não mais pelo nome da cidade de forma escrita.

O Brasil é o terceiro país do Mercosul a adotar a placa. Uruguai (2015) e Argentina (2016) foram os dois primeiros. O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) determinou que todos os estados devem implantar o novo modelo até o dia 1º de dezembro deste ano.

Mais Segurança e Fiscalização

A mudança para o novo modelos de placas padrão Mercosul proporciona um maior controle das rotinas de produção e personalização das placas. Para combater a falsificação e o mercado irregular, o novo modelo possui diversos itens de segurança, como a pintura difrativa dos alfanuméricos, ondas sinusoidais e marcas d’água de segurança, além do Código Bidimensional dinâmico (QR-Code).

As tecnologias auxiliam no controle maior deste mercado, que vai desde a fabricação até o consumidor final. A possibilidade de rastrear os processos de produção do início ao fim, que a nova placa propõe, promove o controle de todos os processos e evita assim que ocorram eventuais irregularidades.

Fonte: Detran RJ

CUIDADOS COM AS PALHETAS DO LIMPADOR DE PARA-BRISA

Palhetas

No dia a dia não damos a atenção necessária para esse componente tão importante nos dias chuvosos, muitas das vezes só percebemos seu mau funcionamento no momento do uso.

A vida útil das palhetas são curtas, aproximadamente um ano de uso, além disso elas precisam de um pouco de cuidado, esguichar água com o limpador uma vez por dia evita o ressecamento e prolonga o bom funcionamento das palhetas, na limpeza evite detergentes, substitua por produtos próprios ou silicone.

Mas afinal, você conhece os tipos de palheta que estão disponíveis no mercado?

 

palheta blog.jpg

 

Existem as convencionais que são feitos com aço e borracha com 8 pontos de encaixe e as flats  que são compostas por uma vértebra de aço coberta de ponta a ponta por um spoiler siliconado.

Se o seu veículo vier de fábrica com as palhetas tradicionais você pode fazer a troca para as flats  caso contrário essa troca não será possível.

APPLE LIBERA WAZE E GOOGLE MAPS NO SISTEMA CARPLAY

carplay

Finalmente uma noticia boa para os usuários do sistema IOS, segundo matéria lançada na Revista Auto Esporte os dispositivos atualizados para a versão 12 do sistema da Apple poderão espelhar os aplicativos de GPS no Apple CarPlay disponível nos multimídia dos veículos da Honda por exemplo.

Essa atualização vai permitir que seja utilizado aplicativos como Waze e Google Maps direto na tela do multimídia, podendo ser alternado entre outros aplicativos, resumidamente, você vai poder escutar sua playlist favorita no Spotify enquanto utiliza um app de GPS.

SEM-MARCA

A apple anunciou que disponibilizara gratuitamente a atualização para o IOS 12 e a partir dela os sistemas terão uma conexão mais eficiente, além de demonstrar outras funcionalidades.

 

Você sabe o que é o ISOFIX?

Isofix

Recentemente o Imetro estabeleceu alguns critérios para certificar as cadeirinhas infantis no padrão Isofix, mas afinal, você sabe o que é o Isofix?

O isofix é um padrão universal que foi criado para fixar as cadeirinhas infantis nos automóveis, ela exige que os carros saiam de suas fábricas com ganchos específicos para fixar nesse sistema.

Confira no vídeo abaixo tudo sobre esse sistema imprescindível para a segurança de seus pequenos.

Carros Brasileiros Terão Novas Placas a Partir de Setembro

arte-post-placas.pngA partir do dia 1º Setembro de 2018 os carros Brasileiros irão adotar o modelo de placas do Mercosul, informa resolução publicada nesta quinta-feira (8), no Diário Oficial da União.

A placa com novo padrão jé é usada na Argentina e deveria ter começado a ser adotada no Brasil em janeiro de 2016, porém foi adiada duas vezes com seu último adiamento sem prazo específico de início. Veja como será a nova placa:

 1

Quando começa a valer a nova placa?

  • 1ª etapa começa em 1º de setembro de 2018;
  • Será válida para modelos zero quilômetro, veículos que passarem por processo de transferência de município ou propriedade, ou quando houver a necessidade de substituição das placas;
  • Os veículos usados terão até 31 de dezembro de 2023 para mudar.

 

Qual será o preço?

Ainda não existe uma definição de quais serão os valores das novas placas,  de acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a nova resolução padroniza a produção das placas nacionalmente, o que pode diminuir seu custo.

Atualmente, os preços das placas variam de estado para estado. Em São Paulo, o par de placas sai por R$ 128,68, por exemplo, enquanto no Paraná o valor é de R$ 128,49.

Além disso, existem as taxas de vistoria e licenciamento que são definidas pelo Departamento de Trânsito (Detran) de cada estado.

 

O que vai diferenciar da atual?

A nova placa vai ter uma tarja azul, bandeira do Brasil e outra configuração de letras e números. Além disso, contará com um chip e um código do tipo QR Code para facilitar a identificação dos veículos roubados ou clonados nos países do Mercosul.

Com as novas tecnologias empregadas para evitar falsificações, o Denatran informou que as novas placas não utilizarão mais o lacre. Em muitos casos, o lacre se rompia com o tempo e devia ser reposto para o motorista não ser multado, segundo o Denatran, também será possível o compartilhamento de dados com sistemas de cancelas e portões, que poderão ser utilizados em pedágios e estacionamentos por exemplo.

O que muda no visual da placa?

1- Mais letras e menos números

Em vez de 3 letras e 4 números, como é hoje, as novas placas terão 4 letras e 3 números, e poderão estar embaralhados, assim como na Europa;

2- Cores nas letras e números

Ao contrário do que acontece atualmente, em que a cor de fundo da placa muda conforme o tipo de veículo (comercial, diplomático, etc), nas novas placas a cor do fundo será sempre branca. As cores estarão nas letras e nos números, com esse novo padrão é o fim da famosa “Placa Preta”.

Modelos das novas Placas - Mercosul 2018

3- Estado e cidade com nome e brasão

O nome do país estará na parte superior da patente, sobre uma barra azul. Nome da cidade e do estado estarão na lateral direita, acompanhados dos respectivos brasões;

4- Tamanho

A placa terá as mesmas medidas das já utilizadas no Brasil (40 cm de comprimento por 13 cm de largura);

5- Contra falsificações

Marcas d’água com o nome do país e do Mercosul estarão grafadas na diagonal ao longo das placas, com o objetivo de dificultar falsificações. No Brasil, a placa terá uma tira holográfica do lado esquerdo e um código bidimensional que conterá a identificação do fabricante, a data de fabricação e o número serial da placa. A tira é uma maneira de evitar falsificação.

Controle Elétrico de Estabilidade: funções e desempenho

Sendo considerada uma das maiores inovações da segurança automotiva, depois do sinto de segurança, o controle de estabilidade atua na prevenção de acidentes, antes mesmo dos airbags serem acionados.

VSA.jpgSistema VSA no Honda Civic Geração 10

Desde o ano passado, o Latin NCAP garantiu classificação 5 estrelas para os veículos que estejam equipados com este dispositivo, tornando ele obrigatório na Europa e possivelmente compulsório para o Brasil.

Dentre as prevenções executadas, manter o controle do carro em situações de riscos, como curvas fechadas, desvios bruscos de rota e pisos escorregadios, está dentre as principais ações.  O resultado dele é tão positivo, que segundo o Instituto de seguros para segurança rodoviária IIHS, ele chega a reduzir 43% dos acidentes fatais. No caso de veículos SUVs, 83% de capotamentos podem ser evitados.

Mas afinal, como descobrir se o meu carro possui esse recurso?

Para identificá-lo basta consultar o manual ou ficha técnica do modelo, em que o item costuma ser apresentado como ESC, sigla para controle de estabilidade em inglês. Também é possível notar a presença dele localizando este botão:

HRV_botao_VSA_1166.jpgSistema VSA Honda HR-V

Vale ressaltar que tal informação pode ser obtida de outras maneiras. Algumas montadoras nomeiam a função com siglas específicas. No caso da Honda, por exemplo, a nomenclatura utilizada é VSA Vehicle Stability Assist.

De que modo ele opera?

A identificação acontece a partir dos movimentos do condutor que correspondam à direção real em que o carro se movimente. Em casos de aquaplanagem, por exemplo, em que o motorista gira o volante para o lado contrário ao do carro, o sistema VSA, detecta o problema e passa a responde-lo.

As respostas obtidas acontecem com a leitura de dados enviados por sensores, que calculam a inclinação da direção e velocidade das rodas, até o movimento lateral do veículo. Um grande exemplo é que se o carro estiver passando por um cruzamento e, subitamente for surpreendido por outro em seu percurso, será necessário desviar virando o volante para a esquerda. Contudo, isto não se tornará suficiente, para fugir do obstáculo:

Situação 1 – Sem o controle de estabilidade: o carro não obedecerá ao comando, ocasionando possivelmente um acidente.

Situação 2 – Com o controle de estabilidade: impedirá um possível acidente a partir da frenagem, fazendo uma das rodas pararem enquanto mantem o rumo do automóvel.

113081009

Devo desligá-lo em algum momento?

O aconselhável é que o motorista não desligue o botão. Entretanto, existem situações específicas que tornam esta prática obrigatória, como por exemplo: dirigir sobre areia, em estradas com neve, ou demais situações em que o pneu precise derrapar um pouco até localizar o terreno.

É possível compra-lo avulso?

Se por acaso você ouviu algum boato neste sentido, esteja certificado de que essa informação é improcedente. Isto, pois o sistema depende de uma série de sensores, que podem ou não constarem no seu carro. Tal dispositivo não tem aplicação universal, sem configuração prévia da montadora.

Posso instalar o ESC tendo ABS no veículo?

Não. No Brasil, o sistema ABS tornou-se obrigatório, tendo o sensor de velocidade já contido nas rodas. Contudo, um dos módulos ou hardwares opera apenas o ABS, enquanto o outro executa ambos os componentes. Deste modo para que a operação fosse concluída com sucesso, seria necessária a troca de módulos e recalibragem.

É possível que este sistema se torne obrigatório futuramente?

Segundo informações do Denatran (Departamento Nacional de Transito) a normativa de proposta para obrigatoriedade do ESC já foi proposta para o Contran (Conselho Nacional de Trânsito), e encontra-se em discussão na Câmara Temática de Assuntos Veiculares. Contudo, é necessário que proposta volte ao Contran para sua decisão final.